YouTube Live: leve esta ferramenta para a sua estratégia de conteúdo

YouTube Live: aprenda a fazer uma transmissão ao vivo e aumente o alcance da sua empresa

Com a quarentena e as medidas de isolamento social, o YouTube Live vem sendo amplamente utilizado como canal de comunicação por empresas, influenciadores e artistas. Por semanas seguidas, recordes e mais recordes de audiência foram batidos em apresentações de cantores sertanejos, confirmando o sucesso da fórmula das apresentações ao vivo.

Durante as primeiras semanas de quarentena, a live de maior audiência (Marília Mendonça) chegou a registrar 3,29 milhões de expectadores simultâneos. Mas antes mesmo de milhares de famílias estarem confinadas em casa, o YouTube já apresentava números promissores.

Canais que realizam transmissões ao vivo pelo menos uma vez por semana conquistam, em média, 40% mais novos inscritos que canais que contam apenas com vídeos on demand. Quem aposta nas lives com essa regularidade também conta com 70% mais tempo de exibição que os demais.

Para quem se animou com toda essa popularidade do YouTube Live, preparamos um conteúdo exclusivo, recheado de dicas sobre como levar essa ferramenta para sua estratégia de conteúdo. Falaremos sobre a dinâmica de funcionamento das transmissões, suas características e muito mais.

O que é uma transmissão ao vivo?

Vamos começar pelo básico: o que é uma transmissão ao vivo?

A transmissão ao vivo — ou ilive stream, como também é conhecida — permite a transmissão de sinais de áudio e vídeo em tempo real via internet. O conteúdo, portanto, não precisa ser carregado, tal qual acontece no streaming – tecnologia que permite ao usuário assistir ou ouvir determinada mídia enquanto ela é carregada. Temos como exemplo o próprio YouTube e o Spotify.

Identificada essas diferenças, vale destacar que o grande “barato” das lives é a interação em tempo real entre quem produz e assiste ao conteúdo. Isso, por si só, traz várias possibilidades de engajamento, como mudanças de roteiro em tempo real para agradar ao público e até mesmo monetizar sua transmissão.

Nos últimos anos, a popularidade das transmissões ao vivo fez com que várias plataformas começassem a oferecer essa funcionalidade. O caso mais significativo foi do Facebook, rede social com maior número de usuários no mundo, que entrou na onda das lives em 2016.

Antes mesmo das medidas de isolamento social, o YouTube Live já contava com audiência considerável.

Como preparar sua transmissão no YouTube Live?

Independentemente dos equipamentos que você dispõe para produzir seu conteúdo ao vivo, vale apostar em uma boa preparação. Comece pelos requisitos básicos, como a verificação de sua conta. Somente contas verificadas e que não estejam em períodos de suspensão devido à violação dos termos de uso do YouTube podem fazer lives.

Com uma conta devidamente habilitada para a sua transmissão no YouTube Live, a produção pode efetivamente começar. Aqui, aplica-se a cartilha de todos os vídeos: qualidade de áudio, imagem e iluminação. Dentro de suas possibilidades de equipamentos, faça o seu melhor com a preocupação adicional de contar com uma internet estável.

Você pode realizar sua transmissão tanto de um computador quanto de um celular. As funcionalidades do YouTube Live para os dois tipos de dispositivos são idênticas.

Muitas pessoas acabam optando pelos celulares em função da qualidade das câmeras. Como você já deve saber, smartphones de custo acessível captam imagens com excelente qualidade. O grande “porém” para quem trabalha com baixo orçamento talvez seja a captação de áudio.

Para se chegar a um resultado de boa qualidade, é interessante contar com um microfone de lapela. Esse equipamento, ao contrário do microfone acoplado ao celular ou computador, é capaz de captar áudio de uma única direção, bastando posicioná-lo de forma correta.

Para além dessas questões técnicas, lembre-se de que a dinâmica da produção ao vivo é diferente, exigindo um roteiro bem organizado. Ao mesmo tempo, é necessário estar aberto a adaptações no transcorrer da transmissão.

Caso bata aquela insegurança na hora da produção, lembre-se de que a prática leva à perfeição. Ao realizar transmissões ao vivo com regularidade, você poderá entender quais são as melhores abordagens a serem utilizadas com seu público.

Como vender sua transmissão no YouTube Live?

“Vender” sua transmissão ao vivo no YouTube Live é tão importante quanto colocá-la no ar. Afinal de contas, sem audiência, todo o trabalho terá sido em vão.

Frente a esse desafio, comece escolhendo um nome chamativo para a transmissão. No app do YouTube, a alternativa para inserir o título fica disponível nas configurações iniciais da live, mais precisamente depois de selecionar a opção “transmitir ao vivo”.

Também aproveite esse momento para configurar as opções de privacidade da transmissão. Elas se dividem entre:

  • pública: voltada para todos os usuários da plataforma;

  • privada: direcionada apenas aos usuários que têm o link;

  • particular: fecha a transmissão somente para você.

Feito isso, é hora de escolher uma descrição para o vídeo e a imagem de capa. Tanto um quanto outro devem ser feitos pensando na divulgação da transmissão. Portanto, é preciso trabalhar elementos que impactem seu público.

Naturalmente, a divulgação deve se estender para outros canais, como Instagram, Facebook e e-mail. Faça chamadas regulares e atrativas, que instiguem as pessoas a participarem e atentarem para o horário da transmissão.

Como monetizar sua transmissão no YouTube Live?

Você já deve ter se deparado com alguma transmissão ao vivo monetizada, em que o canal arrecada dinheiro de sua audiência. Essa opção fica disponível nos comentários. Ali, o usuário “premia” aquela conta com o valor que desejar, desde que tenha alguma forma de pagamento cadastrada.

Para além dessas modalidades, o canal ainda pode disponibilizar espaço nos vídeos para propagandas, cobrar pagamento dos espectadores em troca de conteúdos especiais ou vender produtos diretamente em sua página.

Como muita gente também deve saber, essa não é uma opção disponível para todas as contas. Para utilizar essa funcionalidade, o canal deve fazer parte do YouTube Partner Program. Para integrar esse programa, é preciso:

  • respeitar as políticas do YouTube;

  • viver em uma região coberta pelo programa de parceria;

  • ter sido assistido por mais de 4.000 horas nos últimos 12 meses;

  • contar com mais de 1.000 assinantes;

  • ter uma conta habilitada no Google Ads.

Com este artigo, esperamos ter apresentado boas dicas sobre o funcionamento do YouTube Live. Fique ligado, principalmente, nos pré-requisitos para realizar transmissões ao vivo e nas estratégias de produção e divulgação desse tipo de conteúdo. Se possível, busque monetizar suas transmissões. Sabemos que essa é uma opção ainda distante para canais em ascensão, mas é uma possibilidade no horizonte, sem dúvida alguma.

Aproveitando que o tema do conteúdo foi o YouTube Live, que tal conferir mais este conteúdo sobre YouTube Analytics? Conhecendo melhor esta ferramenta, ficará mais fácil implementar uma estratégia de sucesso.