Storytelling na educação para captar mais alunos

Storytelling na educação: como usá-lo na captação de alunos

Desde a antiguidade até a atualidade, a contação de histórias tem servido como ferramenta de aprendizado, utilizada para passar conhecimentos de uma geração à outra. Mas suas potencialidades vão além. É possível utilizar o storytelling na educação também em campanhas de matrículas, para influenciar pais, responsáveis e alunos.

Essa é uma abordagem poderosa por ser capaz de emocionar e motivar as pessoas a realizarem determinadas ações. As histórias contribuem para engajar, estimular, tornar sua mensagem mais memorável e criar um vínculo com a audiência.

Continue a leitura para compreender mais sobre como o storytelling na educação pode beneficiar suas estratégias de captação de alunos.

O que é e quais os benefícios do storytelling na educação?

O que é e benefícios do storytelling na educação

Na concepção atual, storytelling é mais do que contar histórias: diz respeito também à estruturação de uma narrativa de maneira que se conquiste a atenção e o interesse do receptor, incentivando-o a uma ação ou decisão.

Mas o que torna o storytelling na educação tão poderoso? Para começar, este tipo de narração de histórias cria conexões entre os indivíduos e ideias. As narrativas transmitem a cultura, a história e os valores que unem as pessoas.

Por isso, muitas instituições de ensino estão utilizando o storytelling na educação como elemento vital para definir e compartilhar sua identidade, seus valores e diferenciais.

Essa abordagem permite utilizar as histórias para se conectar emocionalmente com seu público, construir confiança em sua comunidade, fortalecer a marca da IE e torná-la mais humana e próxima de seus públicos de interesse.

Ainda, contribui para a construção de um relacionamento com o público e o posicionamento da marca perante o mercado, para impactar a percepção e mente dos leads, melhorar a captação e retenção de alunos, entre outros benefícios.

Tudo isso é possível, em boa medida, porque o storytelling utiliza fatos inseridos em um contexto e transmitidos com emoção, o que torna essas histórias mais marcantes.

Para demonstrar isso, o psicólogo cognitivo Jerome Bruner concluiu que as mensagens transmitidas como histórias são 22 vezes mais memoráveis do que apenas fatos. 

Isso pode impulsionar, inclusive, os resultados de suas campanhas de matrículas. Conforme outra pesquisa, conduzida pelo Dr. Robert Cialdini, as pessoas preferem dizer “sim” àqueles com quem compartilham algo em comum.

Na pesquisa de Cialdini, identificou-se que os participantes que encontraram pontos em comum antes das negociações apresentaram quase o dobro de probabilidade de chegar a uma conclusão bem-sucedida. Essa conclusão pode ser, por exemplo, a consideração sobre em qual escola matricular o filho ou filha.

Como usar storytelling na educação na captação de alunos?

Há diversos caminhos possíveis para utilizar o storytelling na educação, por exemplo, em suas campanhas de matrículas. A seguir, veja algumas dicas para isso.

1. Conheça bem seu público de interesse

A base do storytelling na educação é estabelecer conexões humanas. Desse modo, para conseguir isso, é fundamental, primeiramente, conhecer em detalhes seu público, quais são suas dores e problemas, seus interesses, prioridades, como ele prefere se informar, etc.

Criar uma ou mais personas representando esse perfil a ser atingido nas campanhas de matrículas ajudará a criar uma narrativa que realmente gere identificação e crie o impacto desejado.

Quando Steve Jobs apresentou o iPod, ele não focou em sua engenharia disruptiva ou no design moderno. Em vez disso, disse ao seu público que agora ele poderia carregar 1000 músicas no bolso. O foco estava diretamente nos usuários e em suas aspirações.

Por isso, Steve Jobs foi um mestre não apenas em liderar uma empresa de tecnologia, como em contar histórias poderosas. Seus maiores sucessos ocorreram também devido a um profundo entendimento de quem era o cliente e qual a melhor abordagem para se conectar com ele. Fazer isso em sua instituição também é possível com o uso estratégico do storytelling na educação.

2. Vá além dos números

Vá além dos números com o storytelling na educação

Os números e dados tangíveis são importantes também para orientar o processo decisório que culmina na matrícula do aluno. Mas eles poderão se tornar mais poderosos se inseridos de forma contextualizada e empática em uma narrativa.

Afinal, as histórias são inerentemente pessoais e humanas. As estatísticas não. Uma campanha com o uso de storytelling na educação demonstrará empatia com os medos, necessidades e objetivos de seu público, criando uma conexão mais significativa. 

Assim, por exemplo, ao invés de focar apenas no percentual de aprovações, você poderá compartilhar a jornada de um aluno desde seu ingresso até a formatura e inserção no mercado de trabalho, mostrando como sua formação contribuiu para ele superar desafios e ter sucesso.

Uma abordagem assim humaniza sua mensagem e tem o poder de inspirar, permitindo que se utilize da emoção para tangibilizar objetivos maiores e mais pessoais. 

Parafraseando a ativista e escritora Maya Angelou, as pessoas podem esquecer do que você disse, mas se lembrarão de como você as fez sentir. Muitas vezes, as campanhas de matrículas focam-se apenas em fatos muito objetivos e, assim, não geram sentimentos e não se tornam memoráveis ou criam uma conexão impactante com o público.

3. Sempre que possível, utilize recursos multimídia

Recursos multimídia no storytelling na educação

No livro Lead with a Story, o especialista Paul Smith afirmou que, na maioria dos grupos, cerca de 40% das pessoas serão predominantemente visuais; 40% auditivas e 20% cinestésicas. 

O storytelling na educação, ao utilizar elementos multimídia, pode ajudar a tornar sua campanha atrativa para todos esses públicos. 

As pessoas visuais poderão se conectar com as imagens mentais que a sua narrativa evoca. As auditivas poderão se concentrar nas palavras e no tom de voz do narrador, enquanto as cinestésicas lembrarão das conexões emocionais e dos sentimentos suscitados pela história.

4. Utilize elementos clássicos das histórias de sucesso 

Há alguns elementos comuns às grandes histórias de sucesso, incluindo:

  • Personagem: a história torna-se mais poderosa e humana quando traz um personagem que enfrenta seus desafios. Esse gera identificação e empatia, ingredientes essenciais para a tomada de decisão. 
  • Conflito: o problema ou conflito também é um elemento importante para gerar conexão.
  • Resolução: mostrar como sua instituição está relacionada à resolução do problema de seu personagem (que representa sua persona) criará uma mensagem impactante para que seu público realize uma ação (a matrícula ou o contato com sua escola). 

Assim, por exemplo, se sua persona está em dúvida sobre qual profissão seguir para ter uma carreira de sucesso, é possível mostrar como sua IE ajuda com a orientação vocacional e ao ofertar cursos relevantes, por meio de um exemplo prático de um aluno que tenha enfrentado esse conflito e encontrado o curso certo em sua instituição.

Para continuar se aprofundando neste tema e aprender mais sobre captação de alunos, veja como a integração entre os times de Marketing e de Vendas pode impulsionar suas vendas