links patrocinados

Quando e como trabalhar com links patrocinados

Você já ouviu falar sobre links patrocinados? Esse é um recurso de Marketing Digital que tem, como principal benefício, gerar mais tráfego para o site ou blog da sua empresa. Ele faz parte do que chamamos de Outbound Marketing, mas pode ser utilizado mesmo dentro de uma estratégia de Inbound. Nesse post, você vai entender melhor qual é o momento ideal para trabalhar com links patrocinados e como fazer isso da maneira certa.

O que é mídia paga?

Nesse post, vamos falar várias vezes sobre os links patrocinados. Porém, a lógica por trás deles também se aplica à mídia paga que, na realidade, é uma categoria mais ampla. Em vez de ser apenas um link, a mídia paga pode incluir um banner ou, até mesmo, um conteúdo patrocinado no blog de um influenciador digital.

Entre as redes sociais, a mais famosa por seu programa de mídia paga é o Facebook.

O que são links patrocinados?

Links patrocinados são anúncios pagos. Buscadores, como o Google, colocam os links patrocinados no topo dos resultados de pesquisa para palavras-chave relevantes. Isso quer dizer que, se uma lavanderia compra links patrocinados e define como palavra-chave “lavar a seco”, quando alguém pesquisar esses termos, o anúncio da lavanderia vai aparecer antes dos resultados orgânicos (ou não pagos). Claro que estamos utilizando um exemplo bastante simples, mas é basicamente assim que funciona.

Além do Google, outros serviços de busca, como Bing e o Yahoo!, também oferecem links patrocinados.

Quando é hora de trabalhar com links patrocinados?

Os links patrocinados são considerados um recurso de Outbound Marketing, ou Marketing Tradicional, uma vertente em que a empresa vai ativamente atrás do cliente.

Aqui no blog, nós (geralmente) defendemos o uso do Inbound Marketing, ou marketing de atração, em que o cliente chega à empresa de maneira mais espontânea. Porém, isso não significa que você não possa combinar as duas estratégias para obter melhores resultados. A questão, no caso dos links patrocinados, está em escolher o momento certo, dentro da sua estratégia, para usar esse recurso.

xadrez

A hora ideal para trabalhar com links patrocinados é quando sua empresa está começando a desenvolver o Marketing Digital, quando seus canais ainda são recentes e seu conteúdo ainda não possui uma audiência cativa. Nesse momento, eles ajudam a gerar tráfego, permitindo alavancar a visibilidade do seu conteúdo.

Vale a pena comentar que você não precisa manter os links patrocinados como parte de sua estratégia permanentemente, mas apenas até que seus canais se tornem relevantes o suficiente para ocupar posições de destaque de forma orgânica. Ou ainda quando quiser promover campanhas ou conteúdos com objetivos específicos, como no caso da divulgação de um evento ou lançamento de um novo produto, por exemplo.

Como trabalhar com links patrocinados?

Para que os links patrocinados tragam retorno, você precisa tomar alguns cuidados. O principal está ligado à escolha das palavras-chave, e você deve levar alguns fatores em consideração:

  • volume de buscas;
  • concorrência;
  • relação direta com as palavras-chave.

O primeiro fator, volume de buscas, significa que você precisa criar anúncios vinculados a palavras-chave que são mais procuradas. Se uma palavra-chave tem apenas 10 buscas mensais, criar um anúncio vinculado a ela não vai trazer um impacto significativo para o seu tráfego — em outras palavras, é um desperdício.

O segundo fator, concorrência, significa que você precisa tentar criar anúncios vinculados a palavras-chave que outras empresas ainda não estão explorando muito. Assim, você não vai precisar pagar muito caro para ganhar os primeiros lugares e acabar desperdiçando dinheiro tentando concorrer com grandes empresas que investem valores realmente altos.

Existe uma certa complexidade em combinar os dois primeiros fatores, já que as palavras-chave com maior volume de buscas também costumam ser aquelas com mais concorrência. Por isso, é necessário saber pesquisar para encontrar oportunidades ocultas. Algumas alternativas são usar uma variação de uma palavra-chave popular ou apostar em long-tail (isto é, palavras ‘longas’).

Exemplificando: se você possui uma escola de idiomas e quer atrair mais alunos, apostar em palavras-chave comuns como “curso de inglês” pode ficar bastante caro e, ainda assim, não gerar bons resultados. Mas se você optar por uma long-tail como “aulas de inglês básico para adultos”, o investimento pode ficar bem mais baixo e alcançar um público mais qualificado.

Finalmente, o terceiro fator, relação direta com as palavras-chave, significa que você precisa criar anúncios vinculados a palavras-chave que realmente façam sentido para o seu negócio.

Assim, se você tem uma oficina mecânica mas não presta serviços para motos, não adianta criar um link patrocinado para “manutenção de motos” — mesmo que tenha alto volume de buscas e baixa concorrência. Nesse caso, se o usuário clica no link “manutenção de motos” e é direcionado para o seu site, ele fica insatisfeito por não encontrar o que buscava, e você desperdiça dinheiro pagando pelo clique que não gerou resultado algum.

Se você estiver trabalhando com algum tipo de mídia paga mais complexa, é preciso ter ainda outros cuidados. A escolha de onde essa mídia será publicada, por exemplo, é crucial. Uma marca de cosméticos, por exemplo, vai querer que um conteúdo sobre seu novo produto apareça no site de uma blogueira de moda, e não de um influenciador digital ligado ao mundo dos videogames. Mesmo que ele tenha mais audiência, é ela que possui a audiência mais adequada para o produto em questão.

Nesse post, nós dissemos que você pode alinhar o uso de links patrocinados com sua estratégia de Outbound Marketing — e pode mesmo. Mas será que você precisa de uma estratégia de Outbound? Confira nosso checklist e descubra se essa vertente de marketing se encaixa nos objetivos da sua empresa!