Etapas do Inbound Marketing

1

ATRAÇÃO

2

CONVERSÃO

3

RELACIONAMENTO

4

VENDAS

5

FIDELIZAÇÃO & RETENÇÃO

6

ANÁLISE & MENSURAÇÃO

O QUE É?

Inbound Marketing, ou Marketing de Atração, é o termo que pode ser entendido como as estratégias de marketing digital destinadas à captação “passiva” de clientes.

Mas o que isso quer dizer? Basicamente, é tudo aquilo que uma empresa faz para estimular que seu cliente vá, voluntariamente, em busca do seu produto ou serviço e o encontre, e não o contrário.

O Inbound Marketing respeita o nível de interesse do cliente em determinado produto ou serviço. Isso é feito com o auxílio de um Funil de Vendas. Ele auxilia na identificação de qual estágio do processo de compra em que se encontra um cliente e, portanto, qual o conteúdo adequado para fazê-lo amadurecer nesse processo.

Essa ferramenta não é exclusiva do Marketing Digital e possui um histórico antigo. Entretanto, no ambiente online, é extremamente eficiente, porque permite a mensuração precisa de diferentes variáveis de cada etapa.

ATRAÇÃO

Trazer os clientes para o site da empresa, empenhando-se na elaboração de conteúdo que valha sua atenção.

Pode ser feito através de boas práticas de SEO – Search Engine Optimization, ou otimização para os mecanismos de busca, que fazem com que o site fique entre os primeiros resultados do Google, o que aumenta seu tráfego.

Outras formas de atração são:

TRANSFORMANDO CLIENTES EM LEADS

Clientes atraídos, está na hora de transformá-los em leads, ou seja, “convencê-los” a fornecer informações preciosas, como seu endereço de e-mail. Isso pode ser feito através de landing pages, que são feitas exclusivamente para este fim: capturar – através de um formulário – informações pessoais do potencial cliente em troca de algo que tenha valor para ele. O objetivo aqui é converter para poder se relacionar com esse lead.

CONVERSÃO

Visitantes atraídos, está na hora de transformá-los em leads, ou seja, “convencê-los” a fornecer informações preciosas, como seu endereço de e-mail.

Isso pode ser feito através de landing pages, que são feitas exclusivamente para este fim: capturar – através de um formulário – informações pessoais do potencial cliente em troca de algo que tenha valor para ele.

O objetivo aqui é converter para poder se relacionar com esse lead.

RELACIONAMENTO

Trazer os clientes para o site da empresa, empenhando-se na elaboração de conteúdo que valha sua atenção.

Pode ser feito através de boas práticas de SEO – Search Engine Optimization, ou otimização para os mecanismos de busca, que fazem com que o site fique entre os primeiros resultados do Google, o que aumenta seu tráfego.

VENDAS

O marketing existe para apoiar o trabalho de vendas; assim, não faz sentido que os dois não se comuniquem.

Para aumentar as vendas, é importante que o marketing esteja alinhado com os objetivos comerciais da empresa.

Esse alinhamento só é possível através de comunicação, o que é muito difícil de promover quando existe uma divisão entre as duas equipes. Então, em vez de falar de “equipe de marketing” e “equipe de vendas”, adote uma visão mais global: juntas, são a “equipe da receita”.

FIDELIZAÇÃO / RETENÇÃO

A fidelização é mais importante do que você imagina. Por um lado, ela assegura que você consiga vender de novo e de novo para o cliente que já foi conquistado.

Isso significa que vai lucrar mais com o mesmo cliente, melhorando a relação entre investimento e retorno.

Ela também evita que você crie uma má reputação no mercado. Quando não existe preocupação com a fidelização, o cliente fica insatisfeito e expressa isso por meio de críticas. Na era digital, as reclamações se espalham rapidamente, prejudicando a imagem da sua empresa. Como consequência, pode tornar-se mais difícil conquistar novos clientes.

ANÁLISE E MENSURAÇÃO

As ações de Inbound Marketing devem ser continuamente analisadas, para otimizar o que funciona e reajustar o que não traz resultados.

Isso é possível através das diversas ferramentas de web analytics, como o RD Station, que possui métricas precisas para cada uma das etapas acima descritas.

Assim como na metodologia Lean Startup– ou Startup Enxuta – e no Growth Hacking, o Inbound Marketing prioriza testes e números, em detrimento de intuição.

Logo, todas as ações devem partir de uma hipótese, por exemplo: “esse anúncio é capaz de chamar atenção do cliente”. Se as métricas do anúncio demonstrarem cliques, é um indicativo de que a hipótese estava certa.

Por que o Inbound Marketing é uma boa estratégia?

Isso significa que uma empresa deve parar de investir em marketing tradicional? Não necessariamente.

Cada caso deve ser analisado separadamente, pois essas escolhas variam de acordo com as necessidades de cada empresa. O importante é ter sempre em mente o objetivo que se quer alcançar através do Marketing, adotar as melhores práticas para isso, e manter o olho nos números.

Mensuração é fundamental para saber se as ações adotadas estão conseguindo aproximar a empresa do objetivo selecionado.

Num cenário em que as condições não são ideais, e a falta de recursos é apenas uma das causas dessa realidade, o Inbound Marketing é uma estratégia de Marketing Digital extremamente eficiente.

VAMOS CONVERSAR SOBRE ISSO?