7 Mitos sobre otimização de conversão (CRO)

mulher ao computador

Uma estratégia ou ação de Inbound Marketing que não converte não pode ser considerada eficaz, nem bem-sucedida. Afinal de contas, a conversão — seja do tipo que for — é sempre a meta principal. Talvez por ser tão importante, é que a otimização de conversão, ou CRO, seja envolta em teorias e mitos que, muitas vezes, atrapalham quem não é especialista no assunto.

Para que você não caia em armadilhas, nós identificamos os sete principais mitos sobre otimização de conversão. Agora, você vai descobrir quais são eles e porque não passam de história. Confira!

1. Otimização de Conversão é uma lista de itens

Em muitas situações, no Inbound Marketing, falamos sobre checklists, melhores práticas, dicas — em resumo, listas de itens que você pode ou precisa utilizar um por um para obter resultados superiores. Porém, essa ideia não se aplica ao CRO. Em otimização de conversão, tentar aplicar inúmeras ideias ao mesmo tempo não vai necessariamente funcionar e, em alguns casos, pode até trazer mais prejuízo do que benefício.

Pense, por exemplo, na otimização de uma página de captura de e-mails para seu mailing list. Você pode obter alguma otimização de conversão mudando a cor da letra, tamanho, fonte, cor do botão, os campos do cadastro do usuário, e assim por diante. Mas, se mudar todos de uma vez, sua página vai acabar parecendo uma árvore de natal, e pode afastar os usuários, em vez de incentivá-los ao cadastro. Além disso, alterando diversas variáveis ao mesmo tempo não vai possibilitar que você chegue a conclusão alguma. Afinal, a página em questão converteu mais por causa da cor do botão, ou da quantidade de itens no formulário? É praticamente impossível saber se diversas variáveis foram alteradas ao mesmo tempo, certo?

2. É preciso fazer testes A/B para tudo

Vale a pena dizer, também, que se você for realizar testes A/B para otimizar a conversão de cada elemento possível, vai perder muito tempo com otimizações que não trazem, necessariamente, um grande impacto nos resultados da conversão.

Pense no caso de uma campanha de e-mail marketing. Você faz um teste A/B para descobrir o que funciona melhor com sua mailing list. Só no título da campanha, você pode testar:

  • Usar uma exclamação ou uma pergunta;
  • Com ou sem emojis;
  • Palavras começando com letra maiúscula ou minúscula;
  • Ser explícito sobre o assunto ou jogar uma isca;
  • Personalizar com o nome do destinatário ou não.

Já são cinco testes A/B apenas no título da campanha! Se cada teste levar cerca de uma semana, chutando por baixo, você vai passar mais de um mês em testes antes de sequer chegar ao conteúdo do e-mail.

O segredo, portanto, não é testar tudo, mas focar naquilo que pode proporcionar maior retorno sobre seu esforço.

3. Para otimizar a conversão, é preciso fazer conteúdos menores

O mito não é exatamente esse. Na verdade, o mito é acreditar que a relação entre conversão e marketing de conteúdo depende de uma fórmula exata — porque não é bem assim.

Existem vários tipos de conteúdo que convertem bem: longos e curtos, com linguagem formal ou informal, focados em informação ou focados em emoção… Não se trata, portanto, de usar um “modelo” de conteúdo ideal, mas de saber desenvolver seu próprio conteúdo da maneira ideal, de acordo com o perfil do seu negócio e da sua audiência.

4. Mais tráfego é o suficiente para conseguir mais conversão

Imagine a seguinte situação: você tem um tráfego de 10 mil acessos únicos por mês, com uma taxa de conversão levando a 1.5%, o que representa 150 conversões por mês. Então, se você elevar esse tráfego para 20 mil acessos únicos por mês, com a mesma taxa, terá 300 conversões por mês.

gráficos

Conseguir aumentar o tráfego dos seus canais de Marketing Digital é um excelente começo, mas não é suficiente. Para que o tráfego realmente se reflita em mais conversão, é preciso garantir que sua taxa de conversão, no mínimo, mantenha-se estável.

Agora, imagine que você não esteja dando muita atenção a outros aspectos ligados à conversão, como a qualidade do seu conteúdo. Nesse caso, a taxa de conversão vai cair. Então, mesmo que o tráfego dobre de volume, se a taxa de conversão cair pela metade, você vai continuar obtendo a mesma quantidade de conversões.

5. O que seus concorrentes fazem também vai funcionar para você

Não é completamente um mito, mas não pode ser levado a ferro e fogo. Sim, benchmarking é importante na otimização de conversão, para que você não fique tateando no escuro e não caia na tentação de testar cada elemento possível (se não lembra do que se trata, veja novamente o mito #2!). Por outro lado, essa é apenas uma referência.

Sempre vão existir pequenas variações entre o perfil do concorrente e o perfil da sua empresa, ou entre a audiência do concorrente e a sua audiência. Essas variações podem fazer com que uma mesma ação gere mais resultados para um do que para outro.

6. Otimização de conversão é sinônimo de mudança

Algumas vezes, o que você está fazendo já está trazendo resultados de conversão dentro da melhor taxa possível. Então, fazer mudanças não vai trazer a alavancagem que você espera. É um desperdício de tempo e de recursos.

Qual é a mensagem? Antes de sair fazendo mudanças para alavancar a conversão, analise o que está sendo feito e os seus resultados atuais. Assim, você vai saber o que não precisa ser alterado. E não pense que a mudança, em si, vai provocar um aumento na taxa de conversão.

7. Não é preciso entender a audiência

Nós já vimos que o perfil da audiência afeta as conversões. Dessa forma, para tomar decisões sobre otimização de conversão, você precisa entender sua audiência (seu cliente).

E tome cuidado para não cair na armadilha de pensar que você já sabe tudo sobre ela; o que você infere a partir de observações e a realidade podem ser duas coisas muito diferentes. Portanto, é necessário desenvolver pesquisas e coletar dados para conduzir suas ações de otimização na direção certa.

Agora que você já sabe quais são os principais mitos de otimização de conversão, pode evitar erros comuns de CRO. A ideia é que você desenvolva ações eficazes e focadas para conseguir os melhores resultados, com o “mínimo” esforço.

No mundo do Marketing Digital, existem muitos mitos que se proliferam rapidamente. O CRO não é a única vítima. Então, aproveite para conferir também quais são os 3 mitos sobre redes sociais que sua empresa deve evitar.