Projeto de Inbound Marketing: por que, para quem e como fazer?

Natália Araujo

homem pensando olhando para uma parece cheia de papéis

Se você acompanha o blog, já deve ter visto um dos posts em que falamos sobre o que é Inbound Marketing. Trata-se de uma vertente do Marketing Digital que é voltada a atrair os clientes de maneira natural, em vez de “correr atrás” deles. Porém, saber apenas isso não é o suficiente para implementar um projeto de Inbound Marketing.

Na realidade, antes mesmo de entrar na etapa de Atração, que seria a primeira parte do funil de marketing do Inbound, existe algo muito importante que deve ser feito. Trata-se de definir Por que, Para quem e Como fazer— três aspectos que vão estar na base de todas as suas decisões envolvendo o Inbound Marketing.

Neste post, você aprende a definir cada um desses aspectos, para uma estratégia forte e coesa. Fique atento às nossas dicas e boa leitura!

Definindo o “Porquê” do projeto de Inbound Marketing

O porquê é o motivo pelo qual você vai realizar esse projeto. Em outras palavras, é o objetivo que se pretende alcançar com o Inbound. E você pode ficar surpreso em saber que, na maioria das vezes, as empresas não pensam realmente em um objetivo para apostar nessa ou naquela estratégia de Marketing.

Como o Inbound Marketing vem recebendo muita atenção, as empresas o adotam com a vaga esperança de ver algum reflexo positivo nas vendas. No final das contas, a empresa não consegue saber se o Inbound realmente ajudou, porque suas expectativas em relação a ele nunca foram realmente claras.

Para resolver esse problema, uma boa dica é utilizar a noção de SMART goals, isto é, objetivos (ou metas) inteligentes. SMART é um acrônimo para as cinco características de um objetivo inteligente:

  • Specific: específico;
  • Measurable: mensurável;
  • Attainable: atingível, realizável;
  • Relevant: relevante;
  • Time-based: com prazo para ser cumprido.

smart goals

Um bom exemplo de objetivo inteligente em Inbound Marketing seria:

Aumentar o número de vendas realizadas por meio do e-mail marketing em 5% até o final do trimestre.

Veja que ela é bem específica; é mensurável, pois você pode efetivamente determinar se foi atingida ou não; é realizável, pois 5% em três meses é uma porcentagem possível; é relevante, pois trata de aumentar vendas; tem prazo para ser cumprida.

Agora, um exemplo não tão bom:

Aumentar o número de curtidas na página da empresa em 20% até o final do trimestre.

Esse objetivo é específico, mensurável, realizável, tem prazo… porém, ele não é relevante. Você pode ter milhares de curtidas na página da empresa e, ainda assim, não gerar nenhum impacto para o negócio. Esse é um objetivo vazio.

Percebeu? Todas as cinco características são necessárias para ter um objetivo realmente inteligente.

Definindo seus objetivos inteligentes, você resolve o primeiro aspecto de base para um projeto de Inbound Marketing: o porquê. Por outro lado, se você não conseguiu definir um objetivo, é sinal de que ainda não tem (ou não percebeu que tem) uma razão concreta para investir e implementar o Inbound.

Nós não vamos advogar para que você aposte em algo que não vai gerar valor. Em vez disso, é melhor dar mais um passo atrás, e verificar se o Inbound se encaixa com os objetivos da sua empresa.

Conseguiu elaborar o porquê? Então, vamos passar ao segundo aspecto.

Definindo o “Para quem” do projeto de Inbound Marketing

O projeto de Inbound Marketing depende fortemente de com quem você está conversando (a sua “persona”).

Lembre-se de que o Inbound apoia-se em atração, e pessoas com perfis diferentes são atraídas por coisas diferentes. É por isso que duas empresas de um mesmo segmento podem desenvolver estratégias de Inbound completamente distintas, dependendo de quem é a persona de cada uma.

Pense, por exemplo, em empresas de vestuário. Uma delas produz roupas infantis. Ela vai falar com a criança e/ou com os pais da criança. A outra, produz roupas jovens, então vai falar com pessoas entre 15 e 25 anos, em média. Esses são os públicos de onde deverão ser originadas as suas personas. Você certamente consegue perceber que a estratégia de cada empresa vai ser totalmente diferente, refletindo as diferenças entre as personas, não é mesmo?

Vale a pena reforçar que, no nosso exemplo, nós citamos o público-alvo. Porém, para elaborar uma persona, você vai muito além disso! É preciso levar a idade em consideração, assim como o gênero, a profissão, o estado civil, as suas necessidades e dificuldades, os seus interesses… Resumindo, quanto mais detalhadamente você conseguir descrever a pessoa com quem sua empresa está falando, melhor.

Pode ser difícil fazer a elaboração da persona sem alguma ajuda. Ainda bem que você pode utilizar o Gerador de Personas, uma ferramenta criada pela Resultados Digitais e Rock Content para guiá-lo por todo o processo. Visite o gerador e elabore as personas da sua empresa, antes de passar para o terceiro — e último — aspecto de base.

Definindo o “Como” do projeto de Inbound Marketing

Nós já vimos o ‘porquê’ e ‘para quem’. Agora, é hora de falar sobre como desenvolver um projeto de Inbound Marketing. E essa questão se traduz na escolha dos canais e formatos ideais para atender ao seu objetivo e às suas personas. É por isso que esse aspecto fica por último.

social media

Existem inúmeros canais e formatos que você pode utilizar no Inbound.

Quando falamos em canais, você pode pensar em:

  • Blog: um canal para a divulgação periódica de conteúdos novos, dentro de um domínio próprio. É diferente do site, que tem um caráter mais engessado e não é totalmente voltado para conteúdo;
  • E-mail marketing: o uso do e-mail como canal para realização de ações de marketing. O e-mail ainda é considerado, por muitos especialistas, a opção mais eficaz;
  • Mídias sociais: canais como Facebook, Twitter, Instagram e Youtube. Eles favorecem uma maior participatividade da sua audiência;
  • Mídias pagas (que tecnicamente seriam consideradas Outbound Marketing, mas podem ser implementadas no Inbound): o exemplo mais conhecido é o Google Adwords e os Social Ads. Permite gerar tráfego, fazendo com que conteúdo da sua empresa apareça em locais estratégicos para receber cliques e levar a outros canais.

Por outro lado, alguns exemplos de formatos são:

  • Blog post;
  • Social post;
  • Vídeos;
  • Podcast (áudio);
  • E-book;
  • Newsletter.

Novamente, lembre-se de que estes são exemplos. O Inbound Marketing é muito rico, e existem inúmeras outras opções, e até mesmo maneiras diferentes de utilizar um mesmo canal ou formato. É por isso que criatividade conta muito para uma boa estratégia de Inbound.

Bom, nesse post você aprendeu mais sobre a definição do porquê, para quem e como implementar uma estratégia de Inbound Marketing. Agora, com esses aspectos claros, fica bem mais fácil traçar um projeto vencedor!

Quer saber mais? Então, fique de olho aqui no blog da MaKeiT, pois nos próximos posts nós vamos tratar de cada etapa do Inbound, começando pela Atração. E, enquanto você espera, aproveite para conferir outro artigo, onde respondemos a uma das perguntas mais comuns: Inbound Marketing funciona com qualquer empresa? Leia e descubra!

Tags:, ,